Startups femininas: dicas para você, mulher empoderada, empreender
Empreendedorismo Gestão

Startups femininas: dicas para você, mulher empoderada, empreender

Célio Fabiano
Célio Fabiano

Tabela de conteúdos

Quando você pensa em uma multinacional, uma empresa de médio porte ou até uma microempresa, ao imaginar sua liderança, quem você pensa ser CEO? Um homem ou uma mulher?

Certamente, a grande massa das pessoas pensaria que o líder de uma empresa de sucesso seria um homem, afinal, “eles” ainda são a maioria em cargos de poder nas instituições.

Mas, você já parou para pensar que as mulheres também podem gerir — e muito bem — grandes negócios? Apesar da presença feminina ainda ser muito menor dentro das empresas, sobretudo em cargos de liderança, hoje vemos esse cenário mudar aos poucos.

Sendo assim, este artigo versará sobre startups femininas e como anda o cenário de empresas geridas por mulheres.

Vamos lá!

Startups femininas: como anda a presença de mulheres no mundo corporativo?

Apesar de acompanharmos o aumento da presença feminina em cargos de liderança, essa participação caminha a passos curtos.

Segundo um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Startups, das 13 mil empresas mapeadas, apenas 15,7% são startups femininas.

Isso significa que, enquanto 84,3% das empresas mapeadas são lideradas por homens, apenas uma pequena parcela conta com a gestão de uma ou mais mulheres

Os dados, apesar de alarmantes, não causam surpresa: há muitos anos, os homens continuam como maioria dentro das instituições.

Em outros cargos, não necessariamente na posição de CEO, a realidade não é muito diferente: segundo dados do IBGE, apenas 37,4% das mulheres ocupam posições gerenciais nas empresas.

E esses números são ainda mais significativos nas áreas de tecnologia, engenharia e finanças.

Nova call to action

Dados do relatório Unlocking Women 's Leadership Through STEM Skills Programmes, do Boston Consulting Group, apenas comprovam que startup e gestão feminina ainda é uma realidade que precisa de muitas melhorias. Isso porque somente 9% das empresas de tecnologia, por exemplo, foram fundadas por mulheres.

Para comprovar essas informações, basta observar os resultados do levantamento realizado pelo Distrito, plataforma de inovação para empresas e startups: há dez anos, quando as primeiras startups brasileiras começaram a surgir, 7,8% das empresas possuíam uma cofundação feminina.

Hoje, tantos anos depois, esse número continua baixo. Apenas 9,8% das empresas com mais de um fundador possui a atuação de uma mulher.

Assim, podemos ver a lentidão no aparecimento de startups femininas e na presença de mulheres em cargos de alto escalão.

Exemplos de startups femininas para se inspirar

Por mais que os dados e pesquisas sejam desanimadores, e o processo para que mais startups femininas tenham destaque pareça desafiador, o empreendedorismo feminino é algo que merece ser reverenciado.

Por isso, vamos descobrir agora algumas empresas, geridas ou criadas por mulheres, que estão desenvolvendo ótimos projetos e soluções. Veja e se inspire!

Keruak

Vamos começar nossa lista com o nosso orgulho: o Keruak! Tendo Natália Lima como cofundadora e CEO, o Keruak é um software de gestão financeira super completo.

Avaliado como um dos melhores softwares de gestão financeira do país pelo portal B2B Stack, o Keruak conta com sistemas de fluxo de caixa, emissão de nota fiscal eletrônica, gestão de contratos, controle de estoque, entre outros.

Além disso, ele disponibiliza relatórios gerenciais, restrição de acessos e integração com as principais soluções do mercado, tornando todo o processo muito mais simples e otimizando o tempo.

Nubank

Quem aí não conhece o Nubank? A fintech é a única startup no mundo avaliada em US$10 bilhões que tem uma mulher como cofundadora.

Cristina Junqueira é um grande nome quando falamos em startups femininas. Atuando como vice-presidente, ela se manteve fora das estatísticas: além de ser fundadora de uma grande empresa, também ocupa um cargo de gestão muito importante na organização.

Além disso, ela se destaca no mercado de tecnologia, uma das áreas em que a presença masculina é predominante.

Vittude

Fundada por Tatiana Pimenta, a health tech Vittude é uma plataforma de terapia online, que conecta pacientes que precisam de tratamento aos profissionais da área da saúde mental.

O objetivo da empresa é promover o bem-estar e saúde, por meio de soluções tecnológicas.

Na plataforma, o usuário pode escolher entre os psicólogos disponíveis, definir um dia e horário para atendimento e, até mesmo, realizar o pagamento.

Cuponeria

A CEO e fundadora da Cuponeria, primeira plataforma de cupons grátis no Brasil, Nara Lachan, entrou para a lista da Forbes Under 30, mostrando todo o seu potencial para estar à frente de uma das startups femininas mais promissoras do País.

A plataforma oferece cupons de desconto gratuitos, para que os usuários possam aproveitar boas vantagens durante as compras online, além de também ser uma das empresas adeptas à estratégia do cashback.

Gupy

E para diversificar nossa lista de startups femininas inspiradoras, vamos agora com uma HRtech: Gupy, considerada a principal empresa de software de recrutamento do Brasil.

Fundada por duas mulheres, Mariana Dias e Bruna Guimarães, a empresa combina o uso de inteligência artificial e tecnologia para facilitar a etapa de recrutamento e seleção para diversas empresas.

Lady Driver

Para fechar nosso levantamento de startups femininas inspiradoras, temos a Lady Driver, maior aplicativo de transporte focado no público feminino.

A empresa, fundada por Gabryella Corrêa, foi desenvolvida para oferecer às mulheres uma garantia maior de segurança durante o uso de apps de transporte.

Além disso, segundo a companhia, seu objetivo é, também, oferecer uma oportunidade para que mulheres encontrem sua independência financeira por meio do serviço de motoristas. Legal, não é?

Faça parte das estatísticas: empreenda você também!

Certamente a lista de startups femininas brilhantes poderia continuar crescendo, não fosse a disparidade de gêneros ainda presentes no mercado de inovação e tecnologia no Brasil.

Agora que você conheceu algumas startups femininas fundadas e geridas por mulheres incríveis, chegou a hora de começar a planejar sua estreia no mundo do empreendedorismo com uma ideia inovadora.

Para ajudar nesse decisão, veja abaixo o levantamento feito pelo Distrito, que apresenta o perfil das startups fundadas ou infundadas por mulheres:

  • Saúde e biotech ― 15,2%
  • Educação ― 12,7%
  • Serviços financeiros ― 8,2%
  • Varejo ― 8,1%
  • RH e gestão ― 7,4%
  • Comunicação e mídia ― 7,2%
  • Alimentação ― 4,7%
  • Imobiliário ― 4,7%
  • Serviços ― 4,1%
  • Logística e transportes ― 4,1%
  • Gestão e TI ― 4,0%
  • Moda ― 3,7%
  • Entretenimento ― 3,4%
  • Negócios sociais ― 2,8%
  • Meio ambiente ― 2,7%
  • Agricultura ― 2,5%
  • Regulação ― 1,9%
  • Indústria 4.0 ― 1,5%
  • Outros ― 1,2%

Algum mercado faz brilhar os seus olhos? Então, não deixe a oportunidade passar: coloque sua ideia no mundo e ajude a mostrar que o empreendedorismo e os cargos de gestão também podem ser lugares para mulheres.

E-book de Atendimento e Gamificação

Para continuar se aprofundando sobre a gestão feminina em empresas, leia também o nosso conteúdo sobre e-leadership, um novo modelo de liderança que tem tudo a ver com startups e empresas com inovações tecnológicas.

E lembre-se que, mesmo que o empreendedorismo não seja o seu modelo de negócio, você pode ajudar a aumentar a participação de mulheres nesse mercado apoiando as startups femininas.



Junte-se à conversa.