SaaS: o que é, exemplos, benefícios e métricas
Gestão

SaaS: o que é, exemplos, benefícios e métricas

Célio Fabiano
Célio Fabiano

Tabela de conteúdos

Você sabe o que é SaaS? Software as a Service, traduzido livremente para o português como “Software como um Serviço”, é uma forte tendência no mundo empresarial.

Baseado em assinatura, esse serviço é um modelo de comercialização e distribuição de softwares, que também pode ser encontrado no mercado com as seguintes denominações: “softwares baseados na web”, “softwares sob demanda” ou “softwares hospedados.

Nesse tipo de serviço, a agilidade é um ponto forte: você acessa um link, preenche seus dados, conclui o pagamento e já pode começar a utilizar todas as funcionalidades disponíveis na plataforma.

Empresas adeptas de sistemas SaaS não precisam se preocupar com questões técnicas ou de infraestrutura, basta ter acesso à internet.

Além disso, um ponto forte é a redução de custos se comparados ao modelo tradicional de compra de softwares e licenças de uso.

Se você quer saber mais sobre o que é SaaS, quais os benefícios desse tipo de serviço e as principais métricas para acompanhar, continue a leitura do conteúdo.

Afinal, o que é SaaS?

SaaS é uma sigla em inglês para Software as a Service, uma forte tendência de comercialização e aquisição de soluções tecnológicas.

Em português, SaaS significa software como um Serviço, uma forma de utilizar programas por meio da internet, sem se preocupar com instalações e atualizações.

Essas aplicações on-line podem ser usadas no computador, tablet ou celular, de maneira simples e remota.

Nesse modelo, o cliente não compra a licença de um produto, mas o direito de usufruir do serviço oferecido mediante pagamentos recorrentes.

Logo, todo o trabalho referente ao software, como servidores e infraestrutura, fica na mão do fornecedor — uma maneira acessível de vender ou utilizar soluções de TI.

Como surgiu o SaaS?

Apesar de muitas empresas terem se consolidado no mercado oferecendo serviços on-line nos últimos anos, o modelo SaaS não é novidade. Nasceu no início da década de 90, acompanhando o surgimento da internet.

Antigamente, quando precisava de um software, a empresa comprava o programa, adquiria a licença de uso e ainda precisava de servidores próprios para integrar os equipamentos.

Todo esse processo, além de nada ágil, gerava muitos custos para implementar e manter esse tipo de serviço.

Com a popularização da internet, surgiu o ASP, um modelo mais viável que oferecia softwares on-line com diversas finalidades para suprir a demanda empresarial.

No entanto, com tantas soluções, os programas ficavam pesados e caros, resultando em uma diferença insignificante se comparada à compra dos softwares.

Para solucionar a questão, o SaaS foi criado. Diferente do ASP, o modelo SaaS oferece soluções gerais dentro de um único aplicativo. Quando as atualizações acontecem, elas são feitas para todos os usuários de maneira geral.

Hoje, o Software as a Service é um dos segmentos que mais cresce no Brasil e no mundo. Segundo a Gartner, empresa de pesquisa e consultoria no mercado de TI, o SaaS deve movimentar cerca de USD 140 milhões até 2022.

Exemplos de SaaS

Segundo dados da Associação Brasileira de Startups, entre as mais de 13 mil startups mapeadas, 44% operam no modelo SaaS. Quando falamos mundialmente, esses números são ainda maiores.

Antes da leitura deste conteúdo, você não sabia o que era Software as a Service, né!? No entanto, provavelmente sem nem imaginar, você já deve ter utilizado produtos nesse formato em seu dia a dia.

Para entender melhor o conceito, vamos a alguns exemplos de empresas que estão mandando bem demais nos segmentos que atuam através do SaaS.

A Netflix é um exemplo notório que tem ganhado destaque no mundo todo.

Em 2020, a empresa ultrapassou a marca de 200 milhões de assinantes ativos. Isso significa que todas essas pessoas utilizam esse SaaS, que inovou o seu mercado de atuação regularmente.

Outro exemplo é a PayPal, a maior plataforma de pagamentos on-line do mundo. Com 22 anos de mercado, a empresa oferece um serviço SaaS que funciona como uma carteira digital.

Também existem plataformas em SaaS para serviços de streaming de música. O Spotify e o Deezer são grandes conhecidos e muito populares no mercado.

Para fechar nossa lista, temos o Keruak, um software de gestão financeira super completo e acessível para pequenas e médias empresas.

Depois desses exemplos, podemos concluir que o SaaS realmente está se inserindo nas mais diferentes áreas das nossas vidas, seja no entretenimento ou nos negócios —  e o conceito continuará crescendo.

Quais os benefícios de usar um SaaS?

Agora que você já sabe o que é SaaS e descobriu algumas empresas muito conhecidas que recorrem à tecnologia, chegou a hora de entender quais são os benefícios que o seu uso traz para os negócios.

Otimização de tempo e trabalho

Uma das maiores vantagens do uso de SaaS é a não responsabilidade técnica. Ou seja, você não precisa se preocupar em como o software vai funcionar, quando deve fazer atualizações, entre outras coisas.

A empresa que disponibiliza o SaaS, seja por uma plataforma de aplicativo ou por site, é responsável pelo gerenciamento do mesmo.

Ela é quem vai se preocupar em garantir a segurança, melhor funcionamento dos dados e alta disponibilidade da plataforma para atender sua demanda de uso.

Redução de custos

Contratar um SaaS significa ter acesso a todas as funções do software tradicional, mas sem os altos custos de licença, manutenção e infraestrutura.

Após baixar o aplicativo ou se cadastrar no site do software, o acesso ao serviço é liberado instantaneamente mediante o pagamento, visto que não será necessário instalação.

Alta acessibilidade

Para utilizar um SaaS, tudo o que você precisa é uma conexão com a internet. Isso significa que você pode acessar sua conta em diferentes dispositivos, de qualquer lugar, desde que tenha acesso a uma rede.

Por seu armazenamento em nuvem, os dados de um SaaS não precisam ser transferidos de um dispositivo a outro. Uma facilidade para empresas adeptas ao trabalho remoto.

Funcionalidades necessárias

Outro benefício do modelo SaaS é a possibilidade de escolher o plano com as funções mais necessárias para o seu momento atual.

Essa forma de serviço é interessante, porque você pode escolher aquele pacote que possui um melhor custo benefício conforme o seu orçamento e necessidade.

Depois, caso seja necessário, basta fazer upgrades para expandir os acessos dentro do software.

Integração simplificada

Muitos provedores de SaaS oferecem API's (Interfaces de Programação de Aplicativo) que tornam possível a integração com outros aplicativos complementares e correspondentes.

Isso possibilita ao cliente de um SaaS o gerenciamento contínuo de todos os seus requisitos, de acordo com a demanda que possui.

Segurança

Caso você fique sem o computador ou dispositivo que estava usando, os dados referentes ao SaaS não serão perdidos, pois permanecerão armazenados na computação de nuvem.

E agora que você entendeu bem o que é e como funciona um SaaS, deve estar se perguntando: é seguro?

Vendas Sistema de Help Desk

Segurança em SaaS: como garantir?

Uma das principais dúvidas relacionadas ao SaaS é a segurança do serviço.

Afinal, a principal característica do Service as a Software é a hospedagem na nuvem, o que possibilita o seu acesso pela internet.

Apesar da garantia dos servidores no que diz respeito à segurança de dados, estas ainda são grandes preocupações, tanto para as empresas SaaS quanto para os usuários: garantir a proteção de dados e prevenir possíveis riscos.

Para uma segurança maior no controle e armazenamento de informações, você pode adotar algumas medidas:

Leia os termos e condições gerais do serviço com atenção

Quando você opta por um serviço SaaS para sua empresa, está liberando o acesso de dados importantes sobre o seu negócio para um gerenciamento terceirizado.

Por isso, é fundamental que você entenda o que aquele programa garante sobre isso: quais são as medidas de segurança adotadas por eles e, principalmente, o que acontece caso alguma informação seja disseminada, excluída ou violada.

Discuta a política de níveis de acesso

No caso de algumas empresas, dados confidenciais, de extrema importância para o negócio, são armazenados em um SaaS.

Quando essa situação é necessária, discutir os procedimentos de acesso praticados pelo prestador é indispensável: quem terá acesso aos seus dados? Quais as soluções para caso de perda de informações? Como seus dados podem ser recuperados, caso opte por não renovar a assinatura?

Considere optar por serviço de nuvem privada

Quando o objetivo é armazenar dados corporativos, manter suas informações em uma nuvem pública pode ser um risco (são mais suscetíveis às falhas de segurança).

Por isso, se possível, opte por uma nuvem privada — servidor individual — para manter seguros os dados mais importantes e estratégicos para sua empresa.

Você também pode utilizar uma nuvem híbrida: os dados menos críticos ficam hospedados na nuvem pública e os mais confidenciais na nuvem privada.

Faça backups constantes

Mesmo com todo cuidado e investimento possíveis, até mesmo serviços de SaaS podem sofrer com falhas que coloquem a segurança das informações em risco.

Uma forma de resguardar sua empresa é fazer backups recorrentes para que, caso algum imprevisto aconteça, você tenha os dados disponíveis para acesso.

Quais métricas são utilizadas em empresas de SaaS?

Para que o negócio baseado em uma plataforma flua da melhor maneira, algumas métricas devem ser utilizadas para mensurar os resultados obtidos, planejar os próximos passos de forma estratégica e tomar decisões mais assertivas.

É fundamental trabalhar com ferramentas que auxiliem na otimização do serviço prestado. Por isso, principais métricas para acompanhar são:

1. Churn rate

Atrair novos clientes é fundamental para um negócio, mas acompanhar a taxa de churn rate é ainda mais.

Essa é a métrica que mostra o número de clientes que optaram por cancelar o serviço.

É fundamental fazer o balanço mensal da taxa de saída de um SaaS, para entender quantas pessoas deixaram de assinar seu serviço e, principalmente, identificar os motivos que as levaram a isso e como reverter a situação.

Se há um bom número de entradas mensais em seu SaaS, mas a taxa de saída é igual ou maior a esse número, é importante ficar atento.

Leitura recomendada: O que é churn, qual a sua importância e como calcular essa métrica.

2. LTV (Valor do Tempo de Vida do Cliente)

A métrica LTV faz referência ao Valor do Tempo de Vida do Cliente. Ela serve para que seja analisado o potencial de conversão de um consumidor durante a jornada de compra.

Assim, você pode entender quanto vale cada novo cliente adquirido. Ou seja, quantidade de valor que ele irá contribuir para o seu negócio ao longo do relacionamento com a sua empresa.

Leitura recomendada: O que é LTV (Lifetime Value) e como calcular essa métrica?.

3. ARPA (Receita Mensal Média por Cliente)

Outra métrica fundamental para SaaS é a ARPA, a Receita Mensal Média da sua empresa por cliente.

O cálculo é feito para descobrir o valor mensal médio gerado pelas renovações dos usuários. Assim, ao saber a média paga por clientes por mês, por exemplo, você entenderá o quão efetivos são os resultados.

Leitura recomendada: O que é ARPA e como calcular essa métrica no seu negócio?

4. CAC (Custo de Aquisição de Cliente)

O Custo de Aquisição de Cliente é uma das métricas mais importantes para qualquer negócio, e as empresas SaaS não ficam de fora.

Quando você calcula o custo gerado para sua empresa para conquistar um cliente, consegue analisar se as estratégias de divulgação do seu negócio estão gerando resultado.

O CAC contribui para alinhar estratégias e expectativas. Ou seja, você entende quanto paga para cada novo usuário do seu programa, traça uma meta de valor e faz um planejamento estratégico para conseguir chegar ao objetivo.

A grande vantagem de calcular o Custo por Aquisição do Cliente é conseguir otimizar esse valor: quanto mais caro sua empresa paga para conquistar um usuário, menor é sua margem de lucro.

Leitura recomendada: Como calcular seu Custo de Aquisição de Clientes (CAC) ainda hoje.

5. MRR (Receita Mensal Recorrente)

Por fim, um dado importante para acompanhar em empresas no modelo SaaS é a Receita Mensal Recorrente, que é a força vital do SaaS.

O MRR mostra o faturamento recorrente da empresa por mês. No caso de planos anuais, por exemplo, o valor é dividido por 12 para entrar no cálculo.

Leitura recomendada: O que é MRR, como calcular essa métrica e dicas para aumentá-la.

Saber o que é SaaS hoje em dia é fundamental para os empresários e consumidores. Sendo uma tendência tão significativa, é importante entender como utilizar esse serviço ao seu favor.

Aplicativo Gamificação

A utilização de um SaaS pode alavancar os resultados da sua empresa, bem como manter um bom controle de atendimento. Afinal, a satisfação do cliente e o crescimento de um negócio andam lado a lado.

Se você ainda não sabe como fazer essa gestão, entenda tudo sobre o assunto e veja como a Desk Manager pode potencializar seus atendimentos.



Junte-se à conversa.