Durante muito tempo, as decisões importantes dentro das organizações foram tomadas sobretudo com base na experiência e intuição de seus líderes. Muitas das maiores empresas da atualidade seguiram esse padrão, pois não havia ainda o conceito de Business Intelligence.

Essa realidade não deve ser tomada como algo negativo. É evidente que esses líderes sabiam o que fazer e muitas boas decisões foram tomadas.

No entanto, só era possível ter certeza dos resultados positivos depois de colocados em prática os planos dos gestores, que contavam apenas com seu próprio conhecimento como base.

E é claro que também havia resultados negativos, mas eles funcionavam como conhecimento acumulado para experiências futuras.

Com o passar do tempo, porém, o mercado tornou-se mais competitivo, novas oportunidades surgiram e a tecnologia avançou. Era hora de repensar como tomar decisões assertivas em momentos cruciais.

As experiências e dados acumulados durante tanto tempo, permitiram a criação de novos conceitos nas áreas dos negócios e estratégias mais consistentes para a tomada de decisões.

As escolhas de caminhos a serem seguidos dentro das corporações, gradativamente, deixaram de se basear na dedução e passaram a ser mais precisas e mensuráveis.

A todo o conhecimento e às novas ideias que surgiram nesse processo chamamos hoje de Business Intelligence, conceito que se popularizou a partir da década de 1990 e assunto que abordaremos mais detalhadamente nos próximos tópicos deste artigo.

Entendendo o que é business intelligence

Business Intelligence, ou, em Português, “Inteligência de negócios”, pode ser definida como um processo de transformação de conhecimentos acumulados ao longo do tempo em informações relevantes na gestão dos negócios.

Trata-se de um conjunto de recursos que permitem recolher, organizar, analisar, partilhar e acompanhar as informações que darão suporte às escolhas feitas pelos líderes das empresas.

Nesse sentido, é possível trabalhar com grandes volumes de dados, que passam a ser estruturados para identificar e desenvolver boas estratégias de negócios.

Em outras palavras, a interpretação de dados é o fator fundamental quando se fala em Business Intelligence. Os planejamentos tornam-se mais efetivos e os negócios mais estáveis a longo prazo.

Algumas das funcionalidades do Business Intelligence são a produção de relatórios, processos de análise on-line, processamento de eventos complexos, gerenciamento de desempenho dos negócios, benchmarking, análises previsíveis e análises prescritivas.

Com a utilização das ferramentas de Business Intelligence, é possível visualizar um histórico das operações já realizadas, a situação atual e um panorama de possíveis resultados futuros.

A Inteligência de Negócios pode auxiliar em processos diversos, desde os operacionais, como, por exemplo, a atribuição de preços, até os estratégicos, como a definição de objetivos.

É possível, então, trabalhar os elementos da Análise SWOT, identificando as forças e fraquezas da empresa, monitorando os stakeholders para prever as ameaças e visualizar antecipadamente as oportunidades de negócios.

Processos de Business Intelligence

Na prática, a Business Intelligence é mais efetiva quando combina dados internos com informações vindas do mercado em que a empresa se insere, criando um panorama mais completo.

Na busca dessa visão mais ampla, são feitas pesquisas de marketing e de mercado, além de análises competitivas e trabalho com dados primários, ou seja, os oriundos da própria instituição.

Entre as fontes secundárias de informação, pode-se trabalhar com as expectativas do consumidor, o processo de decisão dos clientes, as condições industriais, as tendências culturais e comportamentais, os aspectos econômicos e tecnológicos, entre tantos outros.

Quando se trabalha com  Business Intelligence, é necessário estabelecer metas e objetivos de curto, médio e longo prazo. Dessa forma, é possível eleger quais ferramentas serão utilizadas.

A partir dessa seleção, as ferramentas são utilizadas e os dados trabalhados, podendo resultar na criação de funções extras, como as ligadas aos sistemas relacionados à organização de informações, como CRM (Customer Relationship Management), ERP (Enterprise Resource Planning), BPM (Business Process Management) e ITSM (Information Technology Service Manager).

Por ser útil em várias frentes, a Business Intelligence deixou de ser um recurso destinado apenas a líderes e gestores, estando acessível aos colaboradores das corporações como um todo.

E essa acessibilidade refere-se tanto à utilização das ferramentas quanto à aplicação de seus resultados.

As técnicas podem ser aplicadas, por exemplo, no monitoramento das mídias sociais, nos resultados de SEO e nas campanhas de divulgação on-line. E, após a gestão das informações obtidas, pode-se tirar conclusões importantes para o desenvolvimento corporativo, passando por várias frentes.

Como a Business Intelligence evoluiu muito em um curto espaço de tempo e sua tendência é continuar avançando, é preciso manter a mente sempre aberta ao aprendizado para obter eficiência na utilização desse recurso.

Ferramentas

Os profissionais envolvidos no trabalho com a Inteligência de Negócios podem se valer de diversas tecnologias para a obtenção, armazenamento, análise e acesso aos dados relevantes.

Existem muitos softwares disponíveis para essa funcionalidade. Eles oferecem gráficos e relatórios de grande ajuda para os gestores.

A seguir, listamos três ferramentas que possuem integração com a Desk Manager e que podem ser utilizadas nas suas estratégias de Business Intelligence.

  • Slemma: Sua principal característica é a geração rápida de relatórios, o que também acelera a tomada de decisões e a conquista de clientes;
  • Qlikview/ Sense Cloud: Muito conhecida, reúne várias ferramentas voltadas para o processamento de linguagem natural, uma tendência da atualidade;
  • Power BI: É uma ferramenta da Microsoft que tem conexões com muitas fontes de dados. Sua utilização não é complicada, podendo ser feita por diversos grupos de profissionais, ainda que com pouco conhecimento técnico sobre analytics. Você pode conhecer mais detalhes sobre o Power BI clicando aqui.

Conclusão

Se você chegou até aqui, compreendeu a relevância da utilização estratégica da Business Intelligence em sua empresa. Seu principal benefício é contar com informações precisas sempre que for necessário.

Assim, você terá uma visão do cenário atual e perspectivas futuras do desempenho da organização, tanto no aspecto geral quanto nas partes individuais.

Consequentemente, nas atividades de suporte ao cliente, já munido das informações trabalhadas pela aplicação de Business Intelligence, seu retorno será muito mais rápido e assertivo.E que tal utilizar a Business Intelligence e o suporte ao cliente de maneira integrada? No tópico anterior foram citadas algumas ferramentas que você pode aderir em seu negócio juntamente com o software da Desk Manager, que você pode testar gratuitamente clicando aqui.

Conheça o Desk Manager - Gestão de SLA