Diagrama de Ishikawa: entenda a ferramenta de espinha de peixe
Gestão

Diagrama de Ishikawa: entenda a ferramenta de espinha de peixe

Fabio Teles
Fabio Teles

Tabela de conteúdos

Se você está enfrentando muitos problemas internos na sua empresa, chegou a hora de conhecer o diagrama de Ishikawa.

Usada para um diagnóstico detalhado e profundo dos processos internos, essa é uma ferramenta de gestão de qualidade que pode ajudar a melhorar os pontos fracos de um negócio.

Apesar de ser muito conhecida e eficaz, ainda existem muitas empresas que não sabem o que é, como usar e todas as vantagens que o diagrama de Ishikawa pode trazer.

Por isso, para garantir que você se beneficiará dessa incrível ferramenta, elaboramos este artigo completo sobre o assunto.

O que é Diagrama de Ishikawa?

O Diagrama Ishikawa, que você também pode chamar de Diagrama da Espinha de Peixe ou Causa e Efeito, é uma das mais eficientes ferramentas de controle de qualidade.

Ela auxilia na identificação e visualização de questões negativas, possíveis gargalos, que podem estar afetando a qualidade do serviço prestado ou dos produtos oferecidos por sua empresa.

Proposta pela primeira vez nos anos 1960 por Kaoru Ishikawa, o diagrama carrega o nome de origem do seu criador e possui um objetivo simples: mostrar quais são os motivos que levam ao aparecimento de contratempos dentro das organizações.

(créditos da imagem: blog AEVO)

De formato semelhante a uma espinha de peixe, o que explica porque também é conhecido por esse nome, o diagrama auxilia no levantamento de possíveis causas dos problemas corporativos, para que “o mal possa ser cortado pela raíz”.

Para o que serve essa ferramenta?

Como falamos acima, o diagrama de Ishikawa serve para identificar a origem dos problemas de uma empresa.

Assim, ela é um meio de fazer uma análise da organização para encontrar as principais causas que podem impactar negativamente aquele negócio.

Em outras palavras, o diagrama da espinha de peixe é uma ferramenta de gestão de qualidade dos processos que compõem sua empresa. Ou seja, uma forma de analisar se cada um dos principais pilares da companhia estão em conformidade e funcionamento perfeitamente.

Gestão de projetos

No diagrama, as causas dos problemas podem ser classificadas entre os seguintes tipos:

  • Materiais (matéria-prima): a causa do problema está relacionado a matéria-prima utilizada em seus produtos;
  • Mão-de-obra (pessoas): o quadro de colaboradores, a falta de qualificação, entre outros aspectos relacionados às pessoas que atuam naquela empresa são a maior causa de problemas;
  • Máquina (equipamentos): as dificuldades da empresa estão relacionados a problemas operacionais, como falhas de máquinas, falta de equipamentos, entre outros;
  • Meio ambiente: questões ambientais são a raiz de grandes problemas para aquela empresa;
  • Medida: os problemas atuais são resultados de decisões tomadas anteriormente;
  • Método: a raiz do problema daquela empresa está no método utilizado para executar um serviço ou criar um produto.

Assim, após analisar cada um desses pontos, você pode chegar ao que está, de fato, prejudicando os resultados do seu negócio e buscar formas de solucioná-los.

Quais as vantagens de utilizar o diagrama de Ishikawa em sua empresa?

Agora que você sabe o que é o diagrama de Ishikawa e como ele funciona, pode estar imaginando que seu maior benefício é reconhecer os pontos fracos da sua empresa. E está certo, essa realmente é a maior vantagem de utilizar a ferramenta, mas certamente não é a única.

Abaixo, veja outros benefícios que o diagrama da espinha de peixe pode trazer para sua empresa:

  • Identificação profunda da raiz dos problemas facilitando uma ação certeira para resolvê-los;
  • Controle constante e detalhado da qualidade dos processos internos do negócio;
  • Análise detalhada e profunda dos principais aspectos, facilitando a tomada de decisão;
  • Maior participação e engajamento dos colaboradores na análise e melhoria dos processos.

Como fazer um diagrama de Ishikawa?

E como fazer um diagrama de Ishikawa? Como usar essa ferramenta na prática? Veja um passo a passo simplificado abaixo, além de exemplos para facilitar o seu entendimento. Vamos lá!

1. Defina um problema a ser analisado

O primeiro passo para fazer um diagrama de Ishikawa é escolher um efeito ou problema a ser analisado.

Por exemplo, se sua empresa tem recebido muitos pedidos de devolução de um determinado produto, você pode utilizar a ferramenta para entender a raiz desse problema.

É importante escolher um único problema por vez para que a análise possa ser detalhada e precisa.

De preferência, escolha um efeito que possa ser mensurável, como é o caso do exemplo acima. Afinal, você consegue ter um número de devoluções feitas atualmente e depois compará-lo com o novo resultado após as intervenções e melhorias.

Assim, com a questão definida, você irá partir para a elaboração do diagrama.

2. Faça a estrutura da espinha de peixe

Junte o máximo de informações que tiver sobre a questão que será analisada e construa a estrutura da ferramenta.

Para isso, você deve fazer um traço horizontal e escrever à direita, no final da linha, o problema. Depois, em perpendicular ao traço, coloque cada um dos 6M que citamos acima:

  • Materiais;
  • Mão-de-obra;
  • Máquina;
  • Meio ambiente
  • Medida;
  • Método.

3. Convide uma equipe multidisciplinar para participar da análise

Um dos pontos mais positivos de utilizar o diagrama de Ishikawa é poder incluir os colaboradores na análise, ouvindo suas observações e contando com a participação de todos para a melhoria dos pontos identificados.

Por isso, o terceiro passo é justamente reunir alguns funcionários para preencher a ferramenta.

O ideal é que o time esteja diversificado, com pessoas de diferentes setores, para que o brainstorm seja repleto de diferentes perspectivas.

4. Analise as causas e fatores e defina ações

Por fim, chegou a hora de preencher o diagrama com as causas e suas possíveis ramificações para cada um dos aspectos da ferramenta.

Além disso, essa etapa também é importante para definir as ações de melhoria que serão realizadas, e priorizar os pilares que devem ser revistos primeiro, com os respectivos responsáveis e prazos.

Exemplo prático do diagrama da espinha de peixe

Agora que você sabe como fazer o diagrama e utilizar a ferramenta, que tal conferir como seria o seu uso prático em um exemplo?

Veja abaixo uma situação hipotética em que o diagrama poderia ser utilizado por uma empresa que comercializa produtos físicos.

Ela percebeu uma alta no número de pedidos por devolução e estorno no último ano, algo que até então não era uma questão frequente para a empresa. Em comparação ao ano anterior, as devoluções aumentaram 60%.

E-book o Guia completo do Pós-Vendas

Para analisar profundamente a situação, foi feito o seguinte diagrama de Ishikawa:

  • Materiais: troca de matéria-prima devido à crise econômica, a empresa optou por utilizar um material similar, mas que fosse mais em conta, afetando consequentemente em sua qualidade;
  • Mão-de-obra: demissão de alguns colaboradores, falta de recursos para investir em treinamentos de aprimoramento;
  • Máquina: máquinas precisam passar por revisão, algumas já não funcionam em perfeito estado, equipamentos precisam ser trocados, pois perderam a qualidade e passaram a trabalhar com menor qualidade;
  • Meio ambiente: crise econômica geral que afetou o poder de compra dos clientes;
  • Medida: decisão por diminuir o número de colaboradores, demissão do supervisor de qualidade e a dificuldade de realizar uma nova contratação;
  • Método: não há procedimento de tratativa com o cliente para reverter o quadro, não há um fluxograma de processos de produção.

Depois de elencar os aspectos percebidos em cada um dos pilares do diagrama de Ishikawa, a empresa pode priorizar as mudanças e propor melhorias para cada dificuldade identificada.

Viu como a ferramenta, na prática, pode ajudar na visão geral sobre a qualidade dos processos da sua empresa?

E se o diagrama é um poderoso instrumento para o controle de qualidade, o Gráfico de Gantt pode ser um super aliado para manter o controle de produção do seu negócio. Não conhece a ferramenta?

Então, leia nosso artigo “Gráfico de Gantt: o que é e como utilizá-lo? Aprenda ainda hoje“. Veja como o Diagrama de Gantt funciona na prática e as vantagens que ele pode trazer para a sua empresa.



Junte-se à conversa.