/ Gestão de Atendimento

CMDB: por que esse banco de dados é necessário para sua empresa?

Você sabe o que é o acrônimo para Configuration Management Database – o CMDB? Ele é um banco de dados que contém todas as informações relevantes sobre os componentes do sistema de informação utilizado em serviços de TI de uma organização e as relações entre esses componentes.

O CMDB oferece uma visão organizada de dados e um meio de analisar os dados a partir de qualquer perspectiva desejada.

A partir dessa perspectiva, os componentes de um sistema de informação são referidos como itens de configuração que podem ser qualquer componente de TI concebível incluindo: software, hardware, documentação pessoal ou qualquer combinação deles.

Os processos de um banco de dados de gerenciamento de configuração procuram especificar, controlar e rastrear itens de configuração e todas as mudanças feitas a eles de uma forma abrangente e sistemática.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então, continue lendo este artigo e conheça as principais vantagens dessa base de dados e como implementá-la na sua empresa!

CMDB: A base da TI de sucesso

Como você pode perceber, o CMDB funciona como um depósito com informações fundamentais sobre o seu negócio, como a infraestrutura, equipamentos (ativos e passivos), sistemas e aplicações.

No mundo legado, o banco de dados de gerenciamento de configuração (CMDB) é, muitas vezes, visto como um mal necessário.

Projetos de CMDB têm uma reputação bastante negativa, um histórico de longas implementações e um desafio tão grande quanto a implementação, que é manter essa base de dados constantemente atualizada — todos estes fatores acabam postergando a implementação do CMDB.

No entanto, é importante ressaltar que, com o CMDB, é possível mapear toda a infraestrutura de TI.

Nesse caso, trata-se de introduzir todos os componentes físicos e não físicos do ambiente de TI para o CMDB como itens de configuração e, em seguida, a construir as relações entre cada um dos componentes.

Ao manter o CMDB up-to-date, é possível facilmente ver um mapa completo da rede a partir da perspectiva de um único componente.

Isso torna mais fácil a previsão do impacto de falhas de equipamentos  e contribui para construir planos de recuperação de desastres. Também dá para ver o que está em jogo toda vez que um problema é relatado dentro da rede.

Vantagens do CMDB

Se você ainda tem dúvidas, saiba que ter um CMDB costuma ser o sonho de qualquer gestor de TI.

Afinal, ter a facilidade em acessar uma base de dados sempre que for necessário, com as informações atualizadas sobre toda a infraestrutura de TI da empresa, facilita muito o trabalho dos colaboradores dessa área.

Além disso, ele apresenta diversas outras vantagens, como:

  • promove maior confiabilidade dos sistemas;
  • fornece maior e melhor controle e gestão dos ativos, pois é possível utilizar medidas proativas, preditivas e preventivas;
  • possibilita maior agilidade, já que as análises precisas geram impactos positivos nos hardwares, softwares etc;
  • corrige configurações impróprias que poderiam afetar o desempenho;
  • define e aplica políticas e procedimentos formais relacionados ao monitoramento de status, auditoria e identificação de ativos;
  • promove análises de impactos e procedimentos relacionados a testes e assertividades da documentação dos ativos;
  • melhora e potencializa as análises de riscos;
  • acompanha questões fundamentais para a empresa, como os vencimentos de garantias dos equipamentos;
  • promove uma visão mais organizada das informações e ferramentas voltadas para uma análise mais eficiente dos dados e auditoria.

Dessa forma, caso um sistema pare de funcionar em um dado momento, por exemplo, a equipe de TI consegue acessar a base de dados e agir para solucionar o problema, auxiliando inclusive a diminuir o down time e as suas consequências negativas.

No entanto, se a área de TI do seu negócio não contar com o CMDB, isso dificilmente aconteceria.

Afinal, em grande parte das empresas que não têm esse depósito de dados o departamento de TI não consegue descobrir rapidamente qual componente, como o hardware ou software, pode ter ocasionado a queda da rede ou de um sistema.

Assim, torna-se ainda mais difícil investigar o problema e encontrar a causa deste tipo de indisponibilidade.

As quatro principais tarefas do Banco de Dados de Gerenciamento da Configuração e a sua importância

De acordo com o padrão de IT Infrastructure Library (ITIL), as quatro principais tarefas de um banco de dados de gerenciamento de configuração são:

  • identificação de itens de configuração a serem incluídos no CMDB;
  • controle de dados de tal forma que eles possam ser alterados somente por pessoas autorizadas;
  • manutenção de status, que consiste em assegurar que o status atual de qualquer item de configuração seja constantemente gravado e mantido atualizado;
  • a verificação, por meio de auditorias e revisões dos dados, para garantir que eles estejam corretos.

Você sabia que, por incrível que pareça, é mais difícil manter um CMDB do que comprá-lo ou fazer a sua implementação?

CTA-DM-3-2

No entanto, não podemos ignorar que é necessário investir esforço, tempo e dinheiro para implementá-lo, mas essa não é a maior dificuldade.

Isso porque os processos que envolvem a sua instalação requerem que os colaboradores consigam seguir à risca os procedimentos que devem ser feitos para que o CMDB continue funcionando.

Dessa forma, o esforço relacionado à sua manutenção precisa ser em conjunto e contínuo.

A conscientização da importância dessa base de dados precisa estar internalizada em todos os colaboradores, pois não adianta adquirir a ferramenta sem ter pessoas para manuseá-las. Afinal, ela sozinha não consegue solucionar os problemas.

Por isso, o primeiro passo para ter um depósito de informações eficiente é disseminar a necessidade de contar com o CMDB.

Essa etapa é fundamental, já que as pessoas costumam ter dificuldade em construir novos hábitos, principalmente quando o assunto é tecnologia.

Isso é comum, não só pelo fato de eles acreditarem que mudanças tecnológicas são de difícil adaptação, como também por causa da resistência em fazer modificações na rotina de trabalho.

Assim, no dia a dia, é comum que as pessoas acabem ignorando esse processo, ainda que, no início da implantação, todos tenham se animado com a ideia de ter uma base de dados confiável.

Por isso, cabe aos líderes e aos gestores a tarefa de tornar toda a equipe ciente da importância de usar e manter o CMDB.

Implantação do CMDB na empresa

Para que o CMDB seja inserido de forma eficiente na sua empresa, saiba que a dedicação dos diretores é fundamental.

Afinal, eles devem ser os profissionais mais comprometidos a seguir cada etapa do processo, inclusive promovendo a mudança de cultura no ambiente organizacional.

Isso porque mudanças nem sempre são fáceis, já que podem causar desconfortos, então os gestores devem estimular os demais para facilitar a adaptação.

Além disso, é importante ter em mente que isso vai exigir recursos financeiros, por isso é necessário, anteriormente, fazer um planejamento com esse objetivo.

Lembre-se ainda que, durante a implantação, é importante envolver todos os escalões da empresa.

Aliás, mecanismos de controle e adoção de processos também precisam ser implementados, para que assim as mudanças na área de TI sejam controladas e evitem que os colaboradores sofram com retrabalhos.

Ao longo desse processo de instalação, ainda é importante verificar outros três pontos, que são:

  • Identificação e relação dos itens de infraestrutura necessários para oferecer os serviços;
  • Identificação dos CIs (Configuration Items) tecnológicos;
  • Realização de uma definição eficiente do catálogo de serviços da empresa.

Ao longo de todas as etapas, os diretores precisam cumprir todos os protocolos, incentivando os gestores de diferentes níveis hierárquicos a fazerem o mesmo.

Isso é fundamental para que a mudança de hábitos seja feita e estimulada diariamente, tanto em situações cotidianas como em casos mais graves.

É importante lembrar que, por ser uma ferramenta verdadeiramente poderosa, o CMDB contribui para a redução de despesas e controle de itens de configuração e problemas.

Por isso, ele não  pode ser considerado apenas mais uma moda entre os negócios. É importante cuidar da implementação e manutenção para que o dinheiro gasto nessa mudança tecnológica realmente valha a pena.

Além disso, toda a organização precisa entender que essa não é uma função apenas da área de TI, e sim de toda a empresa.

Isso significa que essa iniciativa deve ser mantida por todos os gestores e colaboradores, além de necessitar da adesão de profissionais da alta hierarquia na organização e da participação dos usuários.

Afinal, por ser um projeto que está em constante andamento, ele necessita também de constante atenção.

Conclusão

Como você pode concluir neste artigo, o CMDB é o único repositório de informações de itens de configuração para a empresa.

Além de informações dos itens de configuração, o banco de dados contém informações sobre as relações e dependências entre os componentes de infraestrutura.

Por isso, o CMDB deve trabalhar em estreita colaboração com os processos de gerenciamento de mudanças, já que as avaliações dos riscos devem levar em consideração todos os relacionamentos e dependências que podem ser afetados por mudanças solicitadas para operações de produção.

Sendo assim, o CMDB é importante na tomada de decisão de TI, permitindo que os usuários identifiquem dependências entre processos, pessoas, aplicações e infraestrutura de TI para encontrar oportunidades de mudança, resolução mais rápida dos incidentes e diminuição de erros.

Até aqui, você entendeu o que é o CMDB, as suas vantagens e como implementá-lo na sua empresa, então agora basta agir em busca desse objetivo. Porém, além de reconhecer a importância de ter uma boa base de dados de itens de configuração, veja por que ter uma base de conhecimento também é necessário para o seu negócio!

201917Jun_deskmanager-cta-blog

Rafael Fialho Teixeira

Rafael Fialho Teixeira

Atua há mais de 5 anos na área de Negócios da Desk Manager Software. Formado em TI e especializado em Gestão de Serviços, ITSM, ITIL, Cobit e Customer Success.

Leia Mais